WEBTECA

Doenças

OLHO-DE-PAVÃO, Spilocaea oleaginae (Cycloconium oleaginum)

Com temperaturas entre 10ºC e 25ºC (com um óptimo à volta de 15ºC) e humidade relativa superior a 98%, ou água sobre as folhas durante 1 ou 2 dias, os conídios localizados na página inferior das folhas, entram em germinação, provocando assim as infecções. Estas caracterizam-se por manchas circulares, com zonas concêntricas na página superior das folhas, de cor amarela, castanha e negra. Em geral, observam-se várias manchas por folha, as quais vão aumentando de dimensão e adquirindo um tom amarelado na sua periferia. Entre a infecção e o aparecimento dos primeiros sintomas pode decorrer um período de tempo entre 2 a 15 semanas. A doença tem dois períodos de maior incidência: outono-invernal e inverno-primaveril. Quando as condições climatéricas forem muito favoráveis, os frutos também podem ser atacados, apresentando manchas circulares. O pedúnculo do fruto pode igualmente ser atacado, daí resultando a sua queda.
Esta doença atinge, por vezes, alguma gravidade nas zonas interiores, nomeadamente em Trás-os-Montes, Beira Interior, Ribatejo e Norte do Alentejo.
Ao nível dos prejuízos, pode ocorrer queda acentuada das folhas, por vezes quase total, de que resulta o enfraquecimento geral da árvore e impedimento da diferenciação floral.