WEBTECA

Doenças

PEDRADO, Venturia inaequalis (Cke.) Wint.

Antes da queda da folha, o fungo penetra profundamente na folha.
Quando hifas sexualmente compatíveis se encontram, anterídeos (células masculinas) e oogónios (células femininas), dá-se a fertilização do oogónio, em cujas células terminais se encontram os ascos. Um ascocarpo assim formado chama-se pseudoteca e passa o Inverno no interior das folhas caídas no solo.
Após a maturação dos ascósporos (de Março a meados de Maio), os ascos libertam 8 ascósporos que, se o tecido vegetal estiver susceptivel (estado D-D3) e existirem condições climáticas favoráveis, germinam e penetram o tecido vegetal, dando origem às infecções primárias. Após a infecção, na superfície dos órgãos atacados surgem as lesões, constituidas por conidióforos, em cujas extremidades se desenvolvem conídios. Estes na presença de água e Tóptima de 21ºC provocam as infecções secundárias.
Nas folhas, inicialmente, surgem manchas tranlúcidas e amareladas, que se traduzem na página inferior por pontos negros com 5 a 10 mm de diâmetro, que podem coalescer, formando manchas maiores.
Nos frutos, as infecções primárias caracterizam-se por uma mancha grande e o fruto pode deformar-se, enquanto as infecções secundárias são constituidas por manchas de menor dimensão e dispersas no fruto.
Nos ramos podem observar-se pústulas negras no Outono, ainda que seja pouco frequente.