WEBTECA

Doenças

MANCHAS VERMELHAS (Ramularia tulasnei Sacc ou Mycosphaerella fragariae (Tul.) Ldau.)

Sintomatologia

As folhas adultas e as culturas de 2º ano são as mais atacadas.
Na página superior das folhas, aparece uma pequena mancha circular, de 2 a 3 mm de diâmetro (Ramularia tulasnei Sacc ) ou 3 a 5 mm (Marssonina potentillae (Desmo) )
Inicialmente, caracteriza-se por um ponto vermelho apresentando em seguida, um centro claro rodeado por um halo vermelho.
Sobre as pétalas e pedúnculos: mancha oval, que pode medir até 1 cm de comprimento.
Sobre o folíolo: manchas inicialmente dispersas, depois numerosas e reagrupadas, acabam por secar completamente.
No Verão, na página inferior da folha no centro da mancha e, com tempo húmido formam-se os esporos, no Outono aparecem pequenos pontos negros, os picnídios e no Inverno, há a formação das peritecas.
Sobre as flores, Marssonina potentillae (Desmo) pode provocar manchas sobre as sépalas.
Pode confundir-se com os sintomas de Alternariose.

Biologia

Os factores climáticos favoráveis à doença são: temperatura amena e humidade elevada.
A contaminação primária ocorre na Primavera, a partir de ascósporos e no Verão, a partir de esporos.
A disseminação dos esporos é assegurada pela água, favorável ao desenvolvimento da doença em focos. No fim do Verão e no Outono, com tempo chuvoso, a doença pode generalizar-se a toda a cultura.
O fungo conserva-se sob a forma de micélio e peritecas.