PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



O TITUS® é um herbicida pertencente ao grupo químico das sulfonilureias eficaz nas infestantes suscetíveis por via da inibição da enzima acetolactato sintetase (ALS). O TITUS® é absorvido principalmente pelas folhas e, em parte, pelas raízes, apresentando baixa atividade residual e é indicado para o combate de infestantes anuais, nomeadamente gramíneas, na cultura do milho, batateira e tomateiro transplantado.

Tipo de Produto: Herbicidas
Formulação: Grânulos dispersíveis em água (WG) com 25% (p/p) de rinsulfurão.
Família Química: Sulfonilureias
Número APV/AV: AV 0612

Embalagem:
. 100 g

ATENÇÃO

A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS

  TITUS® é um herbicida sistémico com reduzida ação residual.

  O produto é absorvido foliarmente e transportado até aos tecidos meristemáticos, onde irá atuar.

  TITUS® é indicado para o controlo de infestantes gramíneas e algumas dicotiledóneas, em pós-emergência.

OBSERVAÇÕES

  Para melhorar a eficácia do TITUS®, adicionar o TREND® 90 a 0,1% pois facilita a absorção e penetração do produto através da cutícula das folhas.

  Os sintomas visíveis aparecem ao fim de 15-20 dias após a aplicação.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

  A aplicação única de 50-60g/ha pode ser substituída por 2 aplicações: 1ª - 40g/ha e 2 semanas depois a 2ª aplicação - 30g/ha.

  Evitar utilizar TITUS® em milho doce ou em campos de multiplicação.

  O TITUS® não deve ser usado em campos de milho ou de tomate previamente tratados com inseticidas organofosforados sistémicos, nem com estes deve ser efetuada qualquer mistura.

  Recomenda-se não efetuar qualquer rega até 72 horas depois da aplicação do TITUS®.

  Evitar as misturas de TITUS® com herbicidas que tenham na sua composição bentazona ou 2,4-D.

  Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança do produto.

  Os produtos fitofarmacêuticos (PFF) homologados em Portugal podem ser utilizados em proteção integrada (PI), não existindo uma lista de PFF's recomendados especificamente para esse efeito. A escolha do PFF deve ter, obrigatoriamente, em consideração a aplicação dos princípios gerais da PI e as normas definidas para a cultura.