PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Ficha de Segurança CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



MONTANA SAPEC é um herbicida não selectivo de acção sistémica para o controlo de infestantes anuais e vivazes da vinha, pomares de amendoeiras, aveleiras, bananeiras, cerejeiras, citrinos, damasqueiros, macieiras, pereiras, pessegueiros, oliveira, marachas dos arrozais, pousios, renovação de pastagens, antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira directa, mas sempre antes da emergência da cultura, zonas não cultivadas/vias de comunicação (áreas industriais, arruamentos, caminhos, bermas de estradas, campos de aviação, campos de jogos, cemitérios, vias férreas) e para o controlo de infestantes aquáticas e o rabo-de-raposa na cultura da faveira.

Tipo de Produto: Herbicidas
Formulação: Solução concentrada contendo 360 g/L ou 31% (p/p) de glifosato (sob a forma de sal de isopropilamónio)

Família Química: Aminoácidos
Número APV/AV: AV 0046

Embalagens:
. 1 L
. 5 L
. 20 L
. 200 L
. 1000 L
A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

Época e condições de aplicação

problema dose/conc. observações
AMENDOEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

ARROZ
Infestantes

Nas marachas dos arrozais
Ver "Modo de Aplicação"

AVELEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

BANANEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

CEREJEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

CITRINOS
Infestantes

Laranjeira e Limoeiro
Ver "Modo de Aplicação"

DAMASQUEIRO
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

FAVEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

MACIEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

OLIVEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

PEREIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

PESSEGUEIRO
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

VIDEIRA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"

ZONA NÃO CULTIVADA
Infestantes

Ver "Modo de Aplicação"


Modo de Aplicação

. Em situações de haver arrastamento para as plantas a proteger, os bico do pulverizador devem estar protegidos por "palas" ou "campânulas" de proteção.
. A utilização de baixos volumes de calda aumenta geralmente a eficácia do produto.
. Calibrar adequadamente o pulverizador, calculando o volume de calda a utilizar por hectare, de modo a assegurar a distribuição uniforme da calda. A quantidade de produto e o volume de calda devem ser calculados em função da área a aplicar. Para diminuir o risco de arrastamento evitar pressões superiores a 2 Kg/cm2 e o uso de atomizadores.
. Após a aplicação do herbicida, lavar o material com água e detergente.

ÉPOCA E CONDIÇÕES DE APLICAÇÃO
Videira, amendoeira, aveleira, bananeira, cerejeira, citrinos, damasqueiro, macieira, pereira, pessegeiro e oliveira - Controlar as infestantes anuais monocotiledóneas e dicotiledóneas nas primeiras fases de desenvolvimento e as vivazes desde as primeiras fases de desenvolvimento até à floração.
Arroz - Nas marachas dos arrozais, aplicar após a colheita do arroz, enquanto as infestantes estiverem verdes ou durante o ciclo da cultura em aplicações localizadas (com câmpanula).
Faveira - As aplicações em favais contra o rabo-de-raposa devem ser efectuadas quando, nas raízes das faveiras, se notarem os primeiros “tubérculos” ou “gomos” de desenvolvimento subterrâneo daquela planta parasita. Deve-se observar as raízes das faveiras (amostras colhidas 2 vezes por semana) a partir da floração. Repetir a aplicação 15 dias depois.
Pousios, renovação de pastagens, antes da instalação das culturas*, sementeira directa*, zonas não cultivadas/vias de comunicação e canais e valas - Controlar as infestantes anuais monocotiledóneas e dicotiledóneas nas primeiras fases de desenvolvimento.

INFESTANTES SUSCETÍVEIS E DOSES DE APLICAÇÃO

Anuais*: 2-4 L/ha

Vivazes:
Erva-pata (Oxalis-pes-caprae) 4-5 L/ha

Escalracho (Panicum repens) 4-7 L/ha

Graminhão (Paspalum paspalodes) 5-8 L/ha
Urtigas (Urtica spp)
Corriola (Convolvulus arvensis)
Silvas (Rubus spp)

Feto (Pteridium aquilinum)** 6-8 L/ha
Acácias (Acacia spp)
Grama (Cynodon dactylon)
Jacinto aquático (Eichornia crassipes)***

Junça (Cyperus rotundus)** - 2 aplicações: 1ª 6 L/ha / 2ª 3 L/ha
Juncinha (Cyperus esculentus)** - 2 aplicações: 1ª 6 L/ha / 2ª 3 L/ha
Tabua-larga (Thypha latifolia)*** 8-10 L/ha

Em manchas de infestantes fazer aplicações localizadas com caldas de 1,5%.

Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) 0.13 L/ha

* Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira directa, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento também podem ser usadas as doses de 0,75 a 1,5 L/ha de MONTANA SAPEC.
** No combate aos fetos fazer as aplicações quando todas as folhas estiverem bem abertas e ainda verdes.
*** Nas infestantes aquáticas obtêm-se melhores resultados com aplicações em Junho-Julho.

Modo de Preparação

No recipiente onde se prepara a calda (depósito ou tanque) deitar metade da água necessária. Em pulverizadores hidráulicos iniciar uma agitação suave. Juntar a quantidade de MONTANA SAPEC a utilizar e completar o volume de água. Para evitar a formação de espuma não se deve provocar agitação superficial no tanque.

Intervalo de Segurança

7 dias em amendoeira e aveleira; 21 dias em faveira; 28 dias em bananeira, cerejeira, citrinos, damasqueiro, Kiwi,  macieira, oliveira, pereira, pessegueiro e videira.

Precauções Biológicas

. Aplicar o MONTANA® SAPEC com bom tempo e sem vento.
. Não aplicar quando se prevê chuva nas 6 horas seguintes à aplicação.
. Não Mobilizar o terreno nas primeiras 3-4 semanas após a aplicação para o controlo de infestantes vivazes, para as anuais são as 48 horas após a aplicação.
. Não atingir culturas vizinhas da área a tratar.
. Não aplicar junto a videiras e árvores de fruto que apresentem clorofila (cor verde), nos caules e troncos.
. Não aplicar em vinha e pomares com menos de 3 anos.
. Durante a aplicação não atingir as plantas cultivadas (folhas, ramos ou frutos e ainda as raízes, no caso da bananeira), a fim de evitar possíveis danos ou mesmo a sua destruição.
. A aplicação repetida do mesmo herbicida nas mesmas áreas durante vários anos pode conduzir à ocorrência de resistências em espécies anteriormente suscetíveis. Para evitar o desenvolvimento de resistências, recomenda-se proceder, sempre que possível, à utilização de herbicidas mistos ou à alternância de herbicidas com modo de ação diferente do glifosato.

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

H411 - Tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
P101 - Se for necessário consultar um médico, mostre-lhe a embalagem ou o rótulo.
P260 - Não respirar a nuvem de pulverização.
P262 - Não pode entrar em contacto com os olhos, a pele ou a roupa.
P270 - Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
P280 - Usar luvas de proteção.
P391 - Recolher o produto derramado.
P501 - Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
EUH210 - Ficha de segurança fornecida a pedido.
SP1 - Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
SP1b - Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem, exepto em canais e valas nas doses indicadas.
SPe3a - Para proteção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
SPoPT4 - Usar luvas drante a preparação da calda; usar luvas e vestuário de proteção impermeável durante a aplicação do produto.
SPoPT6 - Após o tratamento lavar bem o material de proteção, tendo cuidado especial em lavar as luvas por dentro.
SPPT1 - A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção autorizado Valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250

Marca Registada

ASCENZA AGRO, S.A.

Nota

Os resultados da aplicação deste produto são suscetíveis de variar pela ação de fatores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.