PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Ficha de Segurança CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



MANCOZEBE SAPEC é um fungicida de superfície do grupo dos ditiocarbamatos com atividade preventiva (inibe a germinação dos esporos). Apresenta uma atividade multisítio inibindo vários processos metabólicos, atuando em diversos enzimas.

Tipo de Produto: Fungicidas
Formulação: Pó molhável (WP) com 80% (p/p) de mancozebe
Contém metenamina
Família Química: Ditiocarbamato
Número APV/AV: AV 0600

Embalagens:
. 200 g
. 25 Kg

ATENÇÃO

A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

Época e condições de aplicação

problema dose/conc. observações
BATATEIRA
Alternariose
200g/hL (2,0 Kg/ha)

Iniciar os tratamentos quando as plantas atinjam 20 a 30 cm ou quando a folhagem se toca na linha e se verifiquem temperaturas superiores a 10ºC e humidades relativas elevadas. A persistência biológica do produto é de 7 a 10 dias. Usando o intervalo mais curto em condições de maior pressão da doença e no período de crescimento ativo da cultura.
O número máximo de tratamentos na cultura da batateira é de 8 no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.

BATATEIRA
Míldio
200g/hL (2,0 Kg/ha)

Tratar de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta deste, iniciar os tratamentos quando as plantas atinjam 20 a 30 cm ou quando a folhagem se toca na linha e se verifiquem temperaturas superiores a 10ºC e humidades relativas elevadas. A persistência biológica do produto é de 7 a 10 dias. Usando o intervalo mais curto em condições de maior pressão da doença e no período de crescimento ativo da cultura.
O número máximo de tratamentos na cultura da batateira é de 8 no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.

MACIEIRA
Pedrado
200g/hL (2,0 kg/ha)

Tratar de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta deste tratar entre o estado de botão branco ou rosa e antes do início da maturação dos frutos. Durante a floração tratar apenas variedades em que aquela se prolongue ou quando as condições climáticas o justifiquem. O produto possui uma persistência biológica 7 a 12 dias, dependendo dos crescimentos.
Realizar no máximo 4 tratamentos com este produto ou outro do grupo dos ditiocarbamatos.

PEREIRA
Pedrado
200g/hL (2,0Kg/ha)

Tratar de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta deste tratar entre o estado de botão branco ou rosa e antes do início da maturação dos frutos. Durante a floração tratar apenas variedades em que aquela se prolongue ou quando as condições climáticas o justifiquem. O produto possui uma persistência biológica 7 a 12 dias, dependendo dos crescimentos.
Realizar no máximo 4 tratamentos com este produto ou outro do grupo dos ditiocarbamatos.

TOMATEIRO
Alternariose
200g/hL (2,0 Kg/ha)

Ar Livre
Iniciar os tratamentos após as 4 folhas verdadeiras, em condições favoráveis ao desenvolvimento da doença. A persistência biológica do produto é de 7 a 10 dias. Consultar a indústria transformadora antes de usar o produto em tomate cuja produção se destina a processamento industrial. O número máximo de tratamentos na cultura do tomateiro é de 5, no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.

TOMATEIRO
Míldio
200g/hL (2,0Kg/ha)

Ar Livre
Iniciar os tratamentos após as 4 folhas verdadeiras, em condições favoráveis ao desenvolvimento da doença. A persistência biológica do produto é de 7 a 10 dias. Consultar a indústria transformadora antes de usar o produto em tomate cuja produção se destina a processamento industrial. O número máximo de tratamentos na cultura do tomateiro é de 5, no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.

VIDEIRA
Míldio
200g/hL (2,0 kg/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta deste iniciar os tratamentos imediatamente após o aparecimento dos primeiros focos na região ou no estado de 7-8 folhas até ao fecho dos cachos. O produto possui uma persistência biológica de 7 a 12 dias.
O número máximo de tratamentos na cultura da videira é de 4 no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.

VIDEIRA
Podridão negra
200g/hL (2,0 kg/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta deste iniciar os tratamentos imediatamente após o aparecimento dos primeiros focos na região até ao fecho dos cachos. O produto possui uma persistência biológica de 7 a 12 dias.
O número máximo de tratamentos na cultura da videira é de 4 no conjunto das doenças e por época cultural, com este ou outro fungicida do grupo dos ditiocarbamatos.


Modo de Aplicação

Calibrar corretamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido. Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entre-linhas). Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.
Volume de calda a utilizar: 300-1000 L/ha em videira, 400-1000 L/ha em macieira e pereira, 500-1000 L/ha em tomateiro e batateira.

Modo de Preparação

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Numa vasilha juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar continuamente até obter uma pasta homogénea e sem grumos. Deitar esta pasta no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre. Evitar deixar a calda em repouso.

Intervalo de Segurança

3 dias em tomateiro ao ar livre; 7 dias em batateira; 28 dias em macieira, pereira e videira. Não ultrapassar o número máximo de aplicações indicado para a cultura em causa, com esta substância ativa ou outra do grupo dos ditiocarbamatos (metirame, propinebe, tirame ou zirame), exceto em macieira e em pereira em que o número máximo de aplicações permitido é de 4.

Precauções Biológicas

. Este produto pode causar fitotoxicidade em algumas variedades de maçã e pera.
. Consultar a indústria transformadora antes de usar o produto em tomateiro, macieira, e pereira cuja produção se destine a processamento industrial.

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

H361d - Suspeito de afetar o nascituro.
H410 - Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
P202 - Não manuseie o produto antes de ter lido e percebido todas as precauções de segurança.
P270 - Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
P280 - Usar luvas de proteção e vestuário de proteção durante a preparação e aplicação do produto.
P308+P313 - EM CASO DE exposição ou suspeita de exposição: consulte um médico.
P501 - Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
EUH208 - Contém mancozebe. Pode provocar uma reação alérgica.
EUH210 - Ficha de segurança fornecida a pedido.
S107d - Respeitar um período de re-entrada de 24 horas nas parcelas tratadas, ou usar vestuário de proteção e luvas adequados.
SP1 - Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
SPe3 - Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada em relação às águas de superfície de 16 metros em pomares de macieira e pereira, 10 metros em videira e 5 metros em hortícolas. Sempre que possível, utilizar bicos anti-deriva que garantam, pelo menos, 50% de redução no arrastamento da calda durante a aplicação do produto podendo, nesse caso, reduzir a largura da zona não pulverizada em 5 metros.
SPe3 – Para proteção dos organismos aquáticos não visados, respeitar uma zona não pulverizada em relação às águas de superfície de 5 metros em ornamentais de folhas de corte.
SPoPT1 - Após o tratamento lavar cuidadosamente o material de proteção e os objetos contaminados, tendo o cuidado especial em lavar as luvas por dentro.
SPPT3 - A embalagem vazia não deverá ser lavada, sendo completamente esgotada do seu conteúdo, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção Valorfito.

Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250

Marca Registada

ASCENZA AGRO, S.A.

Nota

Os resultados da aplicação deste produto são suscetíveis de variar pela ação de fatores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.