PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Ficha de Segurança CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



O MONTANA SUPRA 450 é um herbicida não seletivo, sistémico, de pós-emergência, cuja substância activa glifosato, é um derivado da glicina. MONTANA SUPRA 450 é absorvido pelas folhas e outras partes verdes das infestantes e translocado para todos os órgãos da planta, acumulando-se principalmente nas raízes e órgãos subterrâneos das plantas vivazes. Inibe a biossíntese do aminoácido shiquimato (inibindo a atividade da enzima (5-enolpiruvil-shiquimato-3-fosfato) síntese, EPSP síntese).
Os sintomas, como interrupção do desenvolvimento, clorose e necrose, surgem geralmente uma ou duas semanas após a aplicação e a destruição completas das infestantes é alcançada cerca de 4 semanas (8 semanas para algumas espécies).

Tipo de Produto: Herbicidas
Formulação: Solução concentrada (SL) com 450 g/L ou 37,7% (p/p) de glifosato (sob a forma de sal isopropilamónio)

Família Química: Aminoácidos
Número APV/AV: AV 1108

Embalagens:
. 20 L
. 200 L
A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

Época e condições de aplicação

problema dose/conc. observações
AMEIXEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

AMENDOEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

AVELEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

CASTANHEIRO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

CEREAIS  DE INVERNO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

CEREAIS DE PRIMAVERA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

CEREJEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

CLEMENTINA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

DAMASQUEIRO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

LARANJEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

LARANJEIRA AZEDA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

LIMOEIRO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

MACIEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

MARMELEIRO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

NECTARINA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

NESPEREIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

NOGUEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

OLIVEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

PEREIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

PESSEGUEIRO
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

POMARES JOVENS
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

TANGERINEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"

VIDEIRA
Infestantes

Ver "Infestantes Suscetíveis e Doses de Aplicação"


Infestantes Susceptíveis

Controla infestantes anuais, vivazes e perenes da vinha, macieira, pereira, marmeleiro, nespereira, ameixeira, pessegueiro, nectarina, damasqueiro, cerejeira, laranjeira, laranjeira azeda, tangerineira, clementina, limoeiro, olival, amendoeira, aveleira, castanheiro, nogueira, pomares jovens em geral, em pré-sementeira e pós-colheita de cereais de Inverno e Primavera, antes da instalação de culturas em técnicas de sementeira.

INFESTANTES SUSCETÍVEIS E DOSES DE APLICAÇÃO

Infestantes Anuais gramíneas e folha larga - 3,2-4,8 L/ha
Erva-pata (Oxalis pes-caprae) - 3,2-4 L/ha
Agrotis (Agrotis spp.) - 3,2-4,8 L/ha
Escalracho (Panicum repens) - 3,2-5,6 L/ha
Graminhão (Paspalum paspalodes) e urtigas (Urticas spp.) - 4-6,4 L/ha
Glyceria maxima
Acácias invasoras (Acacia spp), caniço (Phragmites australis), corriola (Convolvulus arvensis), feto (Pteridium aquilinium), jacinto aquático (Eichornia crassipes) e silvas (Rubus spp.) - 4,8-6,4 L/ha
Grama (Cynodon dactylon), junça (Cyperus rotundus), juncinha (Cyperus esculentus) e tábua-larga (Typha latifolia) - 4,8 - 6,4 L/ha:

ÉPOCA E CONDIÇÕES DE APLICAÇÃO:
As aplicações em pós-emergência das infestantes quando estas se encontram em crescimento ativo, entre a plena floração e o final da floração (BBCH 65 a BBCH 69).

A aplicação deve ser efetuada antes do final da floração da cultura.
As doses mais elevadas devem ser aplicadas em presença de infestações mais intensas e infestantes mais desenvolvidas.

Modo de Aplicação

Calibrar corretamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho. A quantidade de produto e o volume de calda devem ser adequados à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.
Utilize a pressão indicada pelo fabricante, de forma a assegurar a uniformidade da distribuição de calda.
Em situações possibilidade de arrastamento da nuvem de pulverização, os bicos do pulverizador devem estar protegidos por “palas” ou “campânulas” de protecção.
Volume de água a utilizar: 100 a 400 L/ha em fruteiras, olival e vinha e 100 a 200 L/ha antes da instalação de culturas, dependendo do estado de desenvolvimento das infestantes e do equipamento de aplicação.
Depois de cada tratamento, lavar o equipamento de pulverização com água e detergente.



Modo de Preparação

Antes de preparar a calda, verificar que o depósito do pulverizador não contém resíduos de tratamentos anteriores.
No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.
Aplicar a calda imediatamente após a sua preparação.
Não aplicar o MONTANA SUPRA 450 em mistura com outros produtos.

ARMAZENAMENTO
Armazenar nas embalagens originais, bem fechadas, num local seguro, seco, fresco e bem ventilado.
Manter afastado de alimentos e bebidas, incluindo os dos animais.
Evitar a formação e deposição de poeira.
O pó pode formar misturas explosiva.

Intervalo de Segurança

Tratar antes do final da floração para pomares e vinha; 21 dias para oliveira; 28 dias para macieira e pereira.

Precauções Biológicas

. Efetuar a aplicação com bom tempo e sem vento. Evitar tratar com temperaturas elevadas.
. Não aplicar quando se prevê chuva nas 6 horas seguintes à aplicação.
Não existem restrições varietais, no entanto, em caso de dúvida, recomenda-se conduzir um ensaio preliminar.
. O produto pode ser utilizado em qualquer tipo de solo.
. Não mobilizar o terreno nas primeiras 3-4 semanas após a aplicação para o controlo de infestantes vivazes e nas 48 horas seguintes à aplicação no caso de controlo de infestantes anuais.
. Utilizar pulverizadores equipados com bicos protegidos ou bicos anti-deriva nos casos de plantas jovens e culturas mais sensíveis.
. Não aplicar junto a videiras e árvores de fruto que apresentem clorofila (cor verde), nos caules e troncos.
. Durante a aplicação não atingir as partes verdes das culturas, árvores muito jovens que não estejam bem lenhificadas e feridas recentes de poda (menos de duas semanas).
. Não aplicar em vinha com menos de 3 anos.
. A aplicação repetida, na mesma parcela, de herbicidas contendo substâncias activas da mesma família química ou com o mesmo modo de ação podem conduzir à ocorrência de resistências em espécies anteriormente susceptíveis. Para evitar o desenvolvimento de resistências, recomenda-se proceder, sempre que possível, à utilização de herbicidas mistos ou à alternância de herbicidas de diferentes famílias químicas ou com modo de acção diferente do glifosato.
No tratamento geral antes da instalação das culturas, a aplicação deve ser efectuada 30 dias antes da instalação das culturas.

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

EUH210 – Ficha de segurança fornecida a pedido.
H411 – Tóxico para organismos aquáticos com efeitos duradouros.
P103 – Ler o rótulo antes da utilização.
P270 – Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
P391 – Recolher o produto derramado.
P501a – Eliminar o conteúdo e a embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
SPoPT5 – Impedir o acesso de trabalhadores e pessoas estranhas ao tratamento às zonas tratadas até à secagem do pulverizado.
SPoPT4 - O aplicador deverá usar luvas adequadas e vestuário de proteção adequado impermeável (tipo 4) durante a preparação da calda e aplicação do produto.
SPoPT6 – Após o tratamento lavar cuidadosamente o material de proteção e os objetos contaminados. Lavar as luvas também por dentro.
SP1 - Não poluir a água com este produto ou com a sua embalagem. Não limpar o equipamento de aplicação perto de águas de superfície. Evitar contaminações pelos sistemas de evacuação de águas das explorações agrícolas e estradas.
SPe3 - Para proteção das plantas não visadas, respeitar uma zona não pulverizada de 20 metros para uma dose de utilização de 4,8 L/ha e 6,4 L/ha, e de 5 metros para uma dose de utilização de 2,4 L/ha e 3,2 L/ha, em relação às zonas não cultivadas.
SPe3 - Para proteção dos artrópodes não visados, respeitar uma zona não pulverizada de 5 metros para uma dose de utilização de 6,4 L/ha, em relação às zonas não cultivadas.
SPe3 - Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 5 metros, em relação às águas de superfície.
SPPT1 - A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha devendo estes serem entregues num centro de receção autorizado; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250

Marca Registada

ASCENZA AGRO, S.A.

Nota

Os resultados da aplicação deste produto são suscetíveis de variar pela ação de fatores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.