PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Ficha de Segurança CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



CUPRITAL® SC é um fungicida com ação preventiva.

Tipo de Produto: Fungicidas
Formulação: Suspensão concentrada com 700 g/L ou 38% (p/p) de cobre (sob a forma de oxicloreto de cobre)
Família Química: Inorgânico
Número APV/AV: 3995

Embalagens:
. 5 L

ATENÇÃO

A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

Época e condições de aplicação

problema dose/conc. observações
AMEIXEIRA
Crivado
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

AMEIXEIRA
Lepra
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

AMENDOEIRA
Cancro (Pseudomonas spp.)
500mL/hL ( 5 L/ha)

Realizar três aplicações, respectivamente, no início, meio e fim da queda das folhas.

AMENDOEIRA
Crivado
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

AMENDOEIRA
Lepra
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

AMENDOEIRA
Moniliose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar uma aplicação ao entumescimento dos gomos. Prosseguir as aplicações com fungicidas não cúpricos.

CEREJEIRA
Cancro (Pseudomonas spp.)
500mL/hL (5 L/ha)

Realizar três aplicações, respectivamente, no início, meio e fim da queda das folhas.

CEREJEIRA
Crivado
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

CEREJEIRA
Lepra
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

CEREJEIRA
Moniliose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar uma aplicação ao entumescimento dos gomos. Prosseguir as aplicações com fungicidas não cúpricos.

CITRINOS
Alternariose
200-400mL/hL (2-4 L/ha)

Iniciar as aplicações no Outono quando se verificar um abaixamento das temperaturas e surgirem as primeiras chuvas fortes. Repetir a intervalos de 3-4 semanas, enquanto o tempo decorrer frio e húmido. Geralmente três aplicações são suficientes, a primeira em meados de Novembro, a segunda em fins de Dezembro e a terceira em princípios de Fevereiro. As aplicações devem ser efetuadas pulverizando bem o tronco e as abas das árvores.

CITRINOS
Míldio
200-400mL/hL (2-4 L/ha)

Iniciar as aplicações no Outono quando se verificar um abaixamento das temperaturas e surgirem as primeiras chuvas fortes. Repetir a intervalos de 3-4 semanas, enquanto o tempo decorrer frio e húmido. Geralmente três aplicações são suficientes, a primeira em meados de Novembro, a segunda em fins de Dezembro e a terceira em princípios de Fevereiro. As aplicações devem ser efetuadas pulverizando bem o tronco e as abas das árvores.

CITRINOS
Pinta negra ou mancha negra
200-400mL/hL (2-4 L/ha)

Iniciar as aplicações no Outono quando se verificar um abaixamento das temperaturas e surgirem as primeiras chuvas fortes. Repetir a intervalos de 3-4 semanas, enquanto o tempo decorrer frio e húmido. Geralmente três aplicações são suficientes, a primeira em meados de Novembro, a segunda em fins de Dezembro e a terceira em princípios de Fevereiro. As aplicações devem ser efetuadas pulverizando bem o tronco e as abas das árvores.

CITRINOS
Queimado
200-400mL/hL (2-4 L/ha)

Iniciar as aplicações no Outono quando se verificar um abaixamento das temperaturas e surgirem as primeiras chuvas fortes. Repetir a intervalos de 3-4 semanas, enquanto o tempo decorrer frio e húmido. Geralmente três aplicações são suficientes, a primeira em meados de Novembro, a segunda em fins de Dezembro e a terceira em princípios de Fevereiro. As aplicações devem ser efetuadas pulverizando bem o tronco e as abas das árvores.

DAMASQUEIRO
Crivado
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Fazer uma aplicação à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

DAMASQUEIRO
Moniliose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar uma aplicação ao entumescimento dos gomos. Prosseguir as aplicações com fungicidas não cúpricos.

GINJEIRA
Cancro (Pseudomonas spp.)
500mL/hL (5 L/ha)

Realizar três aplicações, respectivamente, no início, meio e fim da queda das folhas.

GINJEIRA
Moniliose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar uma aplicação ao entumescimento dos gomos. Prosseguir as aplicações com fungicidas não cúpricos.

MACIEIRA
Cancro (Nectria galligena)
400mL/hL (4 L/ha)

Realizar três tratamentos respetivamente no início, meio e fim da queda das folhas. Nunca aplicar após o início da ponta verde das folhas.

MACIEIRA
Moniliose
300-400mL/hL (3-4 L/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. Na sua ausência efetuar uma aplicação no estado de repouso vegetativo usando a concentração mais alta. Este tratamento não é necessário em macieiras, quando se pretende controlar apenas o pedrado. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas, usando a concentração mais baixa. Na cultivar "Golden delicious" aplicar apenas durante o repouso vegetativo.

MACIEIRA
Pedrado
300-400mL/hL (3-4 L/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. Na sua ausência efetuar uma aplicação no estado de repouso vegetativo usando a concentração mais alta. Este tratamento não é necessário em macieiras, quando se pretende controlar apenas o pedrado. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas, usando a concentração mais baixa. Na cultivar "Golden delicious" aplicar apenas durante o repouso vegetativo.

MORANGUEIRO
Mancha encarnada das folhas
350mL/hL (3,5 L/ha)

Realizar duas aplicações antes da floração.

NESPEREIRA
Pedrado
300-400mL/hL (3-4 L/ha)

Iniciar os tratamentos antes da floração. Repetir à queda das pétalas e sempre que as condições climáticas o justifiquem, a intervalos de 2 a 3 semanas até ao início da mudança de cor dos frutos.

OLIVEIRA
Cercosporiose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar o primeiro tratamento antes da queda das primeiras chuvas outonais. Se as condições climáticas decorrerem favoráveis ao desenvolvimento da doença repetir o tratamento passadas cerca de 3 semanas. Poderá ser necessário realizar tratamentos na Primavera, para o controlo do olho de pavão.

OLIVEIRA
Gafa
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar o primeiro tratamento antes da queda das primeiras chuvas outonais. Se as condições climáticas decorrerem favoráveis ao desenvolvimento da doença repetir o tratamento passadas cerca de 3 semanas. Poderá ser necessário realizar tratamentos na Primavera, para o controlo do olho de pavão.

OLIVEIRA
Olho-de-pavão (Spilocaea oleagina Hughes)
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar o primeiro tratamento antes da queda das primeiras chuvas outonais. Se as condições climáticas decorrerem favoráveis ao desenvolvimento da doença repetir o tratamento passadas cerca de 3 semanas. Poderá ser necessário realizar tratamentos na Primavera, para o controlo do olho de pavão.

PEREIRA
Cancro (Nectria galligena)
400mL/hL (4 L/ha)

Realizar três tratamentos respetivamente no início, meio e fim da queda das folhas. Nunca aplicar após o início da ponta verde das folhas.

PEREIRA
Moniliose
300-400mL/hL (3-4 L/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. Na sua ausência efetuar uma aplicação no estado de repouso vegetativo usando a concentração mais alta. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas, usando a concentração mais baixa.

PEREIRA
Pedrado
300-400mL/hL (3-4 L/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. Na sua ausência efetuar uma aplicação no estado de repouso vegetativo usando a concentração mais alta. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas, usando a concentração mais baixa.

PESSEGUEIRO
Crivado
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

PESSEGUEIRO
Lepra
200-700mL/hL (2-7 L/ha)

Realizar um tratamento à queda das folhas usando a concentração mais alta. Repetir ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa. Prosseguir as restantes aplicações com fungicidas não cúpricos.

PESSEGUEIRO
Moniliose
300mL/hL (3 L/ha)

Realizar uma aplicação ao entumescimento dos gomos. Prosseguir as aplicações com fungicidas não cúpricos. No pessegueiro na aplicação ao entumescimento dos gomos usar grandes volumes de calda mas evitar pulverizações a altas pressões para não destacar os gomos.

TOMATEIRO
Bacteriose (Pseudomonas spp.)
150-200mL/hL (1,5-2 L/ha)

Aplicar ao aparecimento dos primeiros sintomas da doença. Repetir em caso de necessidade.

VIDEIRA
Míldio
200-300mL/hL (2-3 L/ha)

Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. O produto só deverá ser aplicado nos dois últimos tratamentos, favorecendo o atempamento das varas.


Modo de Aplicação

Calibrar corretamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido. Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas). Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

Modo de Preparação

No recipiente onde se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Agitar bem a embalagem até o produto ficar homogénio. Numa vasilha, juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar bem até obter uma mistura homogénea. Deitar esta mistura no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre.

Intervalo de Segurança

7 dias em citrinos, kiwi, nespereira, oliveira, tomateiro e videira.

Precauções Biológicas

- CUPRITAL® SC tem ação profiláctica sobre bacterioses.
- CUPRITAL® SC quando aplicado com tempo frio e chuvoso pode provocar fitotoxicidade.
- Não aplicar em Macieiras e Pereiras após o aparecimento da ponta verde das folhas.
- Na cultivar "Golden delicious" aplicar apenas durante o repouso vegetativo.
- Na Ameixeira, Amendoeira, Cerejeira, Damasqueiro e Pessegueiro, não aplicar CUPRITAL® SC após a rebentação das árvores, pode provocar fitotoxicidade.
- No Kiwi, após a rebentação pode causar fitotoxicidade.

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

H332 - Nocivo por inalação.
H410 - Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
P101 - Se for necessário consultar um médico, mostre-lhe a embalagem ou o rótulo.
P261 - Evitar respirar a nuvem de pulverização.
P270 - Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
P280 - Usar equipamento respiratório de proteção durante a aplicação do produto.
P304+P341 - EM CASO DE INALAÇÃO: em caso de dificuldade respiratória, retirar a vítima para uma zona ao ar livre e mantê-la em repouso numa posição que não dificulte a respiração.
P501 - Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
EUH210 - Ficha de segurança fornecida a pedido.
SP1 - Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
SPe3a - Para proteção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
Para proteção dos organismos do solo e plantas não visadas, não aplicar este produto ou qualquer outro produto contendo cobre a doses superiores a 8 kg Cu/ha/ano, no mesmo solo.
SPPT1 - A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes,  fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção autorizado Valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250

Marca Registada

ASCENZA AGRO, S.A.

Nota

Os resultados da aplicação deste produto são suscetíveis de variar pela ação de fatores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.