PRODUTOS
Outros Produtos SAPEC
Visualizar Ficha Técnica CLP
Ficha de Segurança CLP
Tabela de Compatibilidades

LMR
Consultório Online
Mais informação
PRODUTOS



STULLN® WG ADVANCE é um fungicida que atua por libertação de vapores, possuindo ação preventiva e curativa.


Tipo de Produto: Fungicidas
Formulação: Grânulos dispersíveis em água com 80% (p/p) de enxofre
Família Química: Inorgânico
Número APV/AV: 3732

Embalagens:
. 400 g
. 5 Kg
. 25 Kg
A consulta do site não dispensa a leitura atenta do rótulo

Época e condições de aplicação

problema dose/conc. observações
ABÓBORA
Oídio
200-300g/hL (2-3 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

AMEIXEIRA
Lepra
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto. 

AMEIXEIRA
Moniliose
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto. Para o combate à moniliose, se necessário repetir 10-15 dias depois.

AMENDOEIRA
Lepra
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto.

AMENDOEIRA
Moniliose
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto. Para o combate à moniliose, se necessário repetir 10-15 dias depois.

BEGÓNIA
Oídio
100-400g/hL (1-4 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

CEREJEIRA
Lepra
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto.

CEREJEIRA
Moniliose
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar ao entumescimento dos gomos e no início da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar à queda das pétalas e ao vingamento do fruto. Para o combate à moniliose, se necessário repetir 10-15 dias depois.

DAMASQUEIRO
Oídio
200-400g/hL (2-4 kg/ha)

Começar a aplicar após a floração usando a concentração mais elevada. Prosseguir as aplicações utilizando a concentração mais baixa. A persistência biológica do produto é de 10-15 dias.

ERVILHEIRA
Oídio
150-200g/hL (1,5-2 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

MACIEIRA
Oídio
350g/hL (3,5 kg/ha)

Realizar aplicações ao abrolhamento, repetindo até ao fim do crescimento dos rebentos. A persistência biológica do produto é de 7-10 dias; 5 dias em pomares muito atacados.

MACIEIRA
Pedrado
400g/hL (4 kg/ha)

Sempre que exista Serviço de Avisos, seguir as suas indicações. Iniciar as aplicações ao aparecimento da ponta verde das folhas e repetir no estado de botão branco ou rosa, usando as concentrações mais altas. Os tratamentos durante a floração só serão efectuados em cultivares em que esta se prolongue por largo período de tempo ou perante condições climáticas favoráveis à evolução da doença. Repetir à queda das pétalas, ao vingamento do fruto e se as condições climáticas favorecem a doença, usando a concentração mais baixa. A persistência biológica do produto é de 10-12 dias.

MELANCIA
Oídio
200-300g/hL (2-3 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

MELOEIRO
Oídio
300-350g/hL (3-3,5 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

MORANGUEIRO
Oídio
200g/hL (2 kg/ha)

Aplicar ao aparecimento dos primeiros sintomas, em condições favoráveis à doença.

PEPINO
Oídio
200-300g/hL (2-3 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

PEREIRA
Pedrado
600-700g/hL (6-7 kg/ha)

Sempre que exista Serviço de Avisos, seguir as suas indicações. Iniciar as aplicações ao aparecimento da ponta verde das folhas e repetir no estado de botão branco ou rosa, usando as concentrações mais altas. Os tratamentos durante a floração só serão efectuados em cultivares em que esta se prolongue por largo período de tempo ou perante condições climáticas favoráveis à evolução da doença. Repetir à queda das pétalas, ao vingamento do fruto e se as condições climáticas favorecem a doença, usando a concentração mais baixa. A persistência biológica do produto é de 10-12 dias.

PESSEGUEIRO
Lepra
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar antes da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar após a floração até ao vingamento do fruto, desde que o tempo decorra húmido ou chuvoso.

PESSEGUEIRO
Moniliose
200-400g/hL

300-400g/hL (3-4Kg/ha) Aplicar antes da floração.
200-300g/hL (2-3Kg/ha) Aplicar após a floração até ao vingamento do fruto, desde que o tempo decorra húmido ou chuvoso.

PESSEGUEIRO
Oídio
200-400g/hL (2-4 kg/ha)

Começar a aplicar após a floração usando a concentração mais elevada. Prosseguir as aplicações utilizando a concentração mais baixa. A persistência biológica do produto é de 10-15 dias.

ROSEIRA
Oídio
200-400g/hL (2-4 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

TOMATEIRO
Oídio
200-400g/hL (2-4 kg/ha)

Iniciar as aplicações quando as plantas apresentam 3-5 folhas definitivas. Repetir se necessário.

VIDEIRA
Oídio
400-1250g/hL (4-12,5 kg/ha)

Em condições favoráveis e em vinhas de castas reconhecidas localmente como muito sensíveis ao oídio, usar apenas no período pré-floral.


Modo de Aplicação

Calibrar corretamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido. Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas). Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

Modo de Preparação

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.
Importante Guardar o STULLN® WG ADVANCE em lugar seco e fresco.

Produtos Incompatíveis

O produto não deve ser misturado com caldas oleosas.

Precauções Biológicas

. Evitar aplicações nas horas de maior calor.
. Respeitar um intervalo de 3 semanas entre uma aplicação de calda oleosa e a deste produto.
. Na aplicação feita ao entumescimento dos gomos usar grandes volumes de calda mas evitar pulverizações a altas pressões para não destacar os gomos (lepra e moniliose do pessegueiro.
. O produto pode provocar fitotoxicidade em plantas sensíveis como por exemplo pereiras das cultivares  “ANJOU” e “COMICE”, macieiras das cultivares “GOLDEN DELICIOUS” e “JONATHAN”.
. Não usar em fruta destinada a transformação industrial.
. Pode provocar sintomas de fitotoxicidade em especial em cucurbitáceas (melancia e pepino).

Precauções toxicológicas, ecotoxicológicas e ambientais

P101 - Se for necessário consultar um médico, mostre-lhe a embalagem ou o rótulo.
P270 - Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
P501 - Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
EUH210 - Ficha de segurança fornecida a pedido.
SP1 - Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
SPe3a - Para proteção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
SPPT3 - A embalagem vazia não deverá ser lavada, sendo completamente esgotada seu conteúdo, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção autorizado Valorfito.

Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250

Marca Registada

ASCENZA AGRO, S.A.

Nota

Os resultados da aplicação deste produto são suscetíveis de variar pela ação de fatores que estão fora do nosso domínio, pelo que apenas nos responsabilizamos pelas características previstas na Lei.