INFORMAÇÃO

Doenças

MÍLDIO, Phytophtora infestans (Mont.) De Bary
É uma das doenças mais importantes da batata e uma das que provoca maiores prejuízos económicos mundialmente.

Sintomatologia

A doença manifesta-se sobre todos os órgãos aéreos da planta.
Nas folhas: aparecimento de umas pequenas áreas húmidas, junto á margem, que rapidamente evoluem para manchas acastanhadas que acabam por necrosar.
Na página inferior, quando a humidade é elevada, pode observar-se um enfeltrado branco acinzentado, constituído pelos órgãos de frutificação do fungo (conidióforos).
No caule aéreo: manchas de cor castanha muito escura a negra.
Nos caules subterrâneos (tubérculos): manchas castanhas ao nível da epiderme, enquanto que no interior surgem zonas marmoreadas, cor de ferrugem, com textura fibrosa ou granulosa que lhes confere um aspecto de podridão seca. No entanto, as infecções secundárias por fungos ou bactérias podem causar, posteriormente, em condições de armazenamento, podridões húmidas.
Às vezes os tubérculos apodrecem no campo, sobretudo nas zonas baixas e que encharcam, mas também pode haver contaminação com esporos durante a colheita e manifestarem-se os sintomas mais tarde, durante o armazenamento.

Biologia

Principais características do fungo
- conservação: no solo, em restos de plantas deixados nos campos e em infestantes.
- disseminação: vento e chuva
- penetração : pelos estomas
- condições favoráveis: humidade relativa superior a 90%
temperatura: 10-25º C
película de água sobre a folha

O desenvolvimento e severidade da doença, em áreas onde estão presentes hospedeiros susceptíveis e inóculo, depende grandemente da presença de um filme de água nos tecidos da planta, de humidade relativa elevada e temperatura amena. O fungo esporula, causando numerosas novas infecções.
Noites frias e dias moderadamente quentes, favorecem a extensão deste parasita e a sua disseminação é incontrolável, pelo contrário, temperaturas próximas de 30º C e atmosfera seca atrasam ou param o seu desenvolvimento.
O fungo hiberna sob a forma de micélio, nos tubérculos deixados no campo aquando da colheita e sobre os tubérculos armazenados.
Após a emergência da planta o fungo invade alguns caules em desenvolvimento e esporula sempre que as condições de humidade sejam favoráveis, aparecendo a infecção primária. Uma vez ocorrida a infecção primária, a disseminação realiza-se por meio de esporângios que são transportados pela água e pelo vento.
Os tubérculos, particularmente os que não estão completamente cobertos pelo solo, podem ser infectados no campo através dos esporos arrastados das folhas, pela água da chuva ou da rega.
Outra forma de aparecimento da doença é a partir do tubérculo semeado, subindo pelo talo até á superfície do solo, esporulando e provocando a infecção da vegetação.