INFORMAÇÃO

Organismos Auxiliares

HIMENÓPTEROS PARASITÓIDES - Aphidius colemani
A.colemani é um importante parasitóide no controlo natural de cerca de 40 espécies de afideos. As fêmeas, dotadas de uma enorme capacidade de busca, são capazes de localizar colónias de afideos a longa distância através de “sinais de alarme” produzidos pela planta atacada. A uma distância mais curta, é o cheiro da melada que os atrai. Os adultos de A.colemani alimentam-se de melada, sendo as larvas (endoparasitismo), que mais contribuem para o controlo dos afideos.

Morfologia

Os adultos de A.colemani são insectos negros, com patas castanhas e antenas longas. O seu tamanho depende das dimensões do afideo parasitado, mas é normalmente 2 mm.

Bioecologia

A fêmea perfura o exoesqueleto do afideo com o oviscapto e coloca um ovo no seu interior, o que demora apenas uma fracção de segundo. O afídeo parasitado pode encontrar-se no estado de ninfa ou de adulto. Cada fêmea pode pôr até 100 ovos ao longo de 2 semanas, em que os ovos fertilizados dão origem a fêmeas, enquanto os não fertilizados dão origem a machos. Machos e fêmeas ocorrem na natureza, normalmente, numa razão de 1:2.
Após a eclosão, os vários estados larvares de A.colemani ocorrem no interior do afideo, alimentando-se da hemolinfa e mantando-o lentamente. Cerca de 10 dias após o parasitismo, a larva pupa no interior do afideo, que já mumificado se torna oco, quebradiço e enegrece. Uma semana depois, um adulto de A.colemani abandona o afideo mumificado, deixando um orifício no seu exoesqueleto.